CIRCUITO HISTÓRICO


CIDADE DE TIRADENTES

Visitei a cidade de Tiradentes pela primeira vez quando trabalhava no DER/MG. Na revisão do plano rodoviário, o Engenheiro Ney Torres indicou-me para fazer o levantamento das demandas em melhoria de estradas do Circuito Histórico, do Circuito Arqueológico e do Circuito das Águas. Para a cidade de Tiradentes foi feita a inclusão de um trecho asfaltado ligando Tiradentes a São João del Rey. Posteriormente, fui encarregada de articular um grupo de estudos para mapear a antiga estrada que ligava Minas ao Rio de Janeiro, percorrida tantas vezes pelo Alferes Tiradentes O nome do Projeto seria Estrada dos Inconfidentes. Convidamos o Professor Francisco Iglesias da UFMG para coordenar a equipe. Infelizmente, com os novos rumos tomados pelo Brasil a partir de 1964, essa pesquisa não pode ser realizada. O projeto tornou-se realidade mais tarde e hoje podemos percorrer a Estrada Real, a partir da cidade de Tiradentes. Alegam os moradores mais antigos que o marco oficial do início da estrada não coincide com o marco histórico. Esta polêmica nos levou a pintar o quadro Inícios da Estrada Real.

Pintar a cidade de Tiradentes para mim não é apenas escolher ângulos representativos de sua beleza arquitetônica, mas também resgatar o realismo mágico e metafórico de sua história. Assim, ao escolher o tema Largo das Forras introduzi silhuetas de mulheres, orgulhosas de sua condição de forras no império.

Pintando Becos em alguns quadros procuro resgatar duas vivências históricas - a do trajeto reservado aos escravos, mas também aos inconfidentes em suas reuniões clandestinas, podendo-se atravessar toda a cidade através dos Becos. Vem daí o meu interesse em envolver os Becos em brumas de ontem e de hoje.   

Os Caminhos que circundam a cidade são rotas de fuga e o Padre Toledo os utilizou para escapar da prisão. A necessidade de evasão em uma cidade vigiada e controlada no período colonial permanece no imaginário popular. Neste contexto, ir a São João del Rey é um impulso incontrolável. Escolhi a Locomotiva no interior da residência como metáfora dessa síndrome de evasão e também em homenagem a Magritte, homenagem que se repete em Portas incrustadas no céu.

Uma outra vertente no modo de vida dos moradores da cidade de Tiradentes são os Quintais, belíssimos e aconchegantes - uma mistura inteligente de jardins, pomares, hortas e locais de bate papo.

O sentimento de religiosidade é representado pelas inúmeras igrejas, oratórios e cruzetas colocadas nas fachadas de residências e de estabelecimentos comerciais.

A gastronomia não poderia ser deixada fora dessa mágica, escolhi o Restaurante Santíssima Gula para representá-la. Não poderia deixar de mencionar, também, artistas plásticos, retratistas, instrumentistas, artesões e profissionais de artes cênicas que escolheram a cidade de Tiradentes e da grande Tiradentes como residência e local de trabalho.

Com o centro histórico tombado pelo IPHAN, a cidade de Tiradentes possui excelente estrutura de alojamentos em Hotéis, Pousadas, chez l’habitant urbano e rural, desmentindo a previsão de um político ao dizer que o trecho asfaltado ligava nada a lugar nenhum!

 

Clique aqui para ver os quadros da exposição:
QUADROS DA EXPOSIÇÃO DE TIRADENTES

Apresentação
Poetas Visuais
Circuito Histórico
Esculturas - Instalações
Composições
Paisagens
Muna
Liberdade